Archive for August, 2009

Coincidência…

Saturday, August 29th, 2009
Acho que não estou fazendo sucesso com o Blog do Paquistão. Não achei meu público ainda, mas sei que ele está por ai. Estou me esforçando bastante. Espero que o pessoal mais cabeça apareça. Bom, na verdade, já estão aparecendo. Meus velhos amigos estão comentando as postagens, e isso é bem legal.
Muitas saudades de todos, da família e dos amigos. Nada como ir na padaria de manhã cedo, comprar uma pãezinhos quentinhos, e depois comê-los com um bom café brasileiro.
Nestas horas a gente sente, realmente, o que é estar fora da sua casa, da sua cultura e longe da sua língua.
coincidência  ou não, hoje fiz uma chat com a, minha sobrinha que mora na Holanda. Não cito o seu nome porque não pedi a autorização.
Ela me disse que está cada vez mais ligada em São Paulo e no Brasil.
Conexão? Conectados?
Ela acha que sim. Há muito tempo a gene não se falava. Hoje ela me chamou. E tivemos uma boa conversa.
coincidência? Eu acho que não.

Acho que não estou fazendo sucesso com o Blog do Paquistão. Não achei meu público ainda, mas sei que ele está por ai. Estou me esforçando bastante. Espero que o pessoal mais cabeça apareça. Bom, na verdade, já estão aparecendo. Meus velhos amigos estão comentando as postagens, e isso é bem legal.

Muitas saudades de todos, da família e dos amigos. Nada como ir na padaria de manhã cedo, comprar uma pãezinhos quentinhos, e depois comê-los com um bom café brasileiro.

Nestas horas a gente sente, realmente, o que é estar fora da sua casa, da sua cultura e longe da sua língua.

Coincidência  ou não, hoje fiz uma chat com a minha sobrinha que mora na Holanda. Não cito o nome dela porque não pedi permissão.

Ela me disse que está cada vez mais ligada em São Paulo e no Brasil.

Conexão? Conectados?

Ela acha que sim. Fazia muito tempo a gente não se falava. Hoje ela me chamou. E tivemos uma boa conversa.

Coincidência? Eu acho que não…

Música e Cultura, extraordinário Paquistão

Saturday, August 22nd, 2009
Saieen Zahoor

Saieen Zahoor

Sempre ligo o rádio quando estou dirigindo pelas ruas de Islamabad. Busco por músicas que fazem a trilha sonora do meu caminho.

Certo dia, pela manhã, no caminho do trabalho, escutei uma música bem interessante, era cantada em Urdú, mas com um rítimo e uma batida moderna que me cativou instantaneamente.

Alguns dias depois, zapiando a TV a cabo, escuto a mesma música. Era de uma transmissão de um show gravado em estúdio e patrocinado pela Coca-Cola.

O endereço site da gravação do show na Internet é http://www.cokestudio.com.pk/ . No site é possível fazer o download dos vídeos e também das músicas em formato MP3. Tudo muito profissional.

São cinco episódios divididos em cinco temas: individualidade, harmonia, igualdade, espírito e unidade.

As apresentações incorporam a fusão musical de elementos e influências diversas, desde a tradicional música oriental, a moderna música ocidental, a música regional e a influência religiosa.

É imperdível! Para todos os que gostam de música, e para aqueles que querem conhecer mais sobre a cultura do Paquistão, é uma viagem maravilhosa.

Atif Aslam

Atif Aslam

Zebunnisa Bangash and Haniya Aslam

Zebunnisa Bangash e Haniya Aslam

Todos os artistas:
Rohail Hyatt, Ali Zafar, Arieb Azhar, Atif Aslam, Javed Bashir, JoSH, Noori, Riaz Ali Khan, Saieen Zahoor, Shafqat Amanat Ali Khan, Strings, Zeb & Haniya, Assad Ahmed, Babar Khanna, Jaffer Zaidi, Javed Iqbal, Kamran ‘Mannu’ Zafar, Louis ‘Gumby’ Pinto, Natasha De Sousa, Omran ‘Momo’ Shafique, Saba Shabbir, Sikander, Waris Baloo, Zulfiq ‘Shazee’ Ahmed Khan, Baqir Abbas, Gurpreet Chana, Gul Mohammad, Rakae Jamil e Saddiq Sameer.

Fotos do site http://www.cokestudio.com.pk/

Independência

Friday, August 14th, 2009
Independence Day of Pakistan

Independence Day of Pakistan

Hoje é o dia da independência do Paquistão. É feriado e não trabalho. Ontem o clima já era de festa. Nas ruas, nos carros, nas casas e nos prédios públicos só se viam as bandeiras verdes, estavam por todo lado. À noite, os prédios e casas estavam enfeitados com luzes.
No escritório o clima era o mesmo. Alguma coisa como a véspera de ano novo no Brasil. O trabalho, apesar das emergências e problemas, ficou em segundo plano. Ganhei um broche com a bandeira do Paquistão e um xale para usar ao redor do pescoço. Ao utilizá-los percebi como os paquistaneses ficaram felizes e mais amigos.
Empatia imediata.
No final do dia promovemos uma festa de celebração. Discursos e apresentações espontâneas de canto e dança.
Nestes momentos ainda sinto esperança que o mundo pode ser melhor e cultivo a ilusão que o ser humano pode viver em paz.

Em Kathmandu, Nepal, para um Workshop sobre Plano de Continuidade de Negócios

Sunday, August 9th, 2009

Business Continuity Plan – BCP – ou em português, Plano de Continuidade de Negócios. Segundo a Wikipédia é o “desenvolvimento preventivo de um conjunto de estratégias e planos de ação de maneira a garantir que os serviços essenciais sejam devidamente identificados e preservados após a ocorrência de um desastre”. O tema tem tudo a ver com o meu trabalho de Gerente de TI, para a UNICEF, no Paquistão, onde vivemos em uma situação de emergência permanente.

Em junho deste ano, participei, por dois dias, em um Workshop em Kathmandu,sobre Plano de Continuidade de Negócios. Particiapram pessoas de TI e Operações de diversos países da região, como Índia, Butão, Afeganistão, Paquistão, Nepal, Sri Lanka e Ilhas Maldivas.

Templo budista Boudnath

Templo Budista Boudnath

Mandala - Cooperativa no templo budista Boudnath

Desenhando a Mandala - Cooperativa no templo Budista Boudnath

Templo budista Boudnath

Templo Budista Boudnath

Tudo muito interessante, e para mim, novo na organização, uma grande oportunidade de aumentar o networking, aprender e interagir com meus colegas. Como sempre faço, quando viajo a trabalho, vou dar uma volta na cidade, ver os aspectos culturais, apreciar a comida e os costumes locais. E também comprar lembranças e presentes para a família.

Templo dos Macacos

Templo dos Macacos

O Templo dos Macacos

O Templo dos Macacos

Simplesmente amei Kathimandu. Cheguei um dia antes, vindo de Karachi no Paquistão. Aproveitei a tarde livre e fui à luta. Aluguei um táxi no hotel e fui rodar pela caótica e linda cidade. Entre outros lugares visitei o Monkey Temple (Swayambunath Stupa), o templo hindu Pashupatinath e o templo budista Boudnath, que fica no meio do bairro budista da capital.

Cremação no Templo hindu Pashupatinath

Cremação no Templo Hindu Pashupatinath

Cremação no Templo hindu Pashupatinath

Cremação no Templo Hindu Pashupatinath

Pashupatinath é um impressionante templo hindu. Fica às margens do Rio Bagmati, local de cremações no Nepal. Fiquei muito, mas muito impressionado. Tem lugar para cremações de pobres e de ricos. Os ricos são queimados em madeira de sândalo. Quando cheguei aconteciam seis cremações simultâneas. Além das pessoas, macacos soltos vivem ao redor dos templos. Uma variedade de tipos vivem e sobrevicem do templo, são guias, monges, turistas, macacos, funcionários e nem sei mais o que. Tudo combina com o que é Kathmandu.

O cheiro do lugar de cremações é de churrasco queimado. Um indiano, amigo do meu filho, que esteve num Fórum Social em Porto Alegre, quando sentiu o cheiro dos famosos churrasquinhos que se vendem nas ruas comentou que é o mesmo cheiro dos templos de cremações da Índia. É um bom argumento para se virar vegetariano. Sou obrigado a concordar.

Personagem no Templo

Personagem no Templo

Paulo no Templo

Paulo no Templo

Personagem das Ruas

Personagem das Ruas

Personagem das Ruas

Personagem das Ruas

À noite, não faltou um jantar típico com danças nepalesas em um restaurante local. O táxi, como sempre, me esperando na porta. Tudo muito barato e lindo.

O Workshop foi nota dez…

No Parque

No Parque

AMimento

Alimento nas ruas de Kathmandu

Conflito Religioso gera mais violência!

Monday, August 3rd, 2009

De volta ao Paquistão depois de 30 horas de viagem e 10 dias muito bons em São Paulo.
Foi ótimo ver a família e os amigos. Matei a saudade da comida brasileira e descansei bastante – muita chuva e frio ajudaram.
Hoje, quando entrei em casa, em Islamabad, no Paquistão, lindas flores esperavam por mim. Foi uma boa e alegre surpresa depois de uma canseira no aeroporto. Uma “big” fila na imigração e depois mais uma hora até a minha mala aparecer.
A minha empregada trouxe o jornal “Dawn“, do qual sou assinante, para eu ler. Ela é cristã e está preocupada com a situação por aqui. A notícia principal do jornal era sobre mais um conflito interno. Não bastassem todos os problemas que os paquistaneses enfrentam, parece que o conflito religioso pode se aprofundar. Na região de Faisalabad, em Gojra, onde moram os pais da minha empregada, a violência contra a comunidade cristã gerou sete mortes, incluindo crianças. Todos foram queimados vivos em suas casas por uma turba enfurecida. A causa foi um problema de desrespeito ao “Sagrado Corão” durante uma cerimônia de casamento. Foram dois dias de violência onde dezenas de casas foram queimadas.
A polícia já efetuou várias prisões, mas tudo aqui parece um barril de pólvora, prestes a explodir. O comentário era que ainda bem que os cristãos não retaliaram com violência. Promoveram somente protestos pacíficos pedindo justiça.

Enterro cristão para as vítimas do conflito

Enterro cristão para as vítimas do conflito - Dawn / AP photo